Bares, Botecos & Restaurantes


 Os  erros mais comuns dos   donos


A hospitalidade deve partir  do dono da casa, ao ver  um cliente dê-lhe um  cordial sorriso,  cumprimente-o, faça-o se sentir  bem vindo em sua casa,  afinal ele é  quem está lhe fazendo um grande negócio, comprando seus  serviços!

Se  conhece  o  dono  do estabelecimento pela   sua  postura,  ou mais  precisamente, pela sua  ausência! A pior experiência de um  cliente  é  chegar  num ambiente e não  ser valorizado, isso mesmo,  VALORIZADO! Todos  nós temos  valores,  cada um de nós  tem  um valor, e levamos  esses  valores  com a gente o tempo inteiro. Num  processo de compra, esses  valores  são  colocados em observância, as  vezes  o Ego  fala  mais alto.

O  Cliente chega  no bar,  cumprimenta  o  dono e  senta  numa mesa a espera de  atendimento, passado  longos  minutos, vem  alguém com  cara de “ que saco, um cliente!”.

O dono, que deveria antecipar  esse atendimento, sentado como estava, lá  ficou sem mover  um dedo. Tão logo percebe-se a apatia  do ambiente, em pleno  Domingo,  noite  fria e gostosa pra curtir um caldo, um vinho, enfim, curtir  um bom ambiente, mas existe gente pra  estregar e  desmotivar qualquer tudo isso.

Depois fica reclamando da crise, por que o seu negócio está de mal  a pior, os  “ fregueses”  sumiram e  fica se perguntando se vale a pena continuar  com aquele  negócio de bar e/ou  de restaurante, por não bastar, a esposa com  cara de azedume sequer cumprimenta o seu ganha pão, o cliente.

O que  ocorre com esse  cidadão  e sua esposa é  que se um está  no alugar  errado, o outro  por obrigação. Servir alimentação não é sua vocação, muito menos estar ser dono. Muitas vezes o negócio de vender comida e bebida tenha uma boa rentabilidade, esse cidadão continua a infernizar a vida do cliente com seu atendimento. Ele pode até ter muito sucesso no ramo de  alimentos e bebidas, mas precisa manter ao seu redor pessoas competentes. Um ponto relevante, não transmita a hierarquia familiar para  dentro  do negócio!

A concorrência é a chave para o sucesso, muito embora alguns donos de estabelecimentos ignorem essa percepção, quantos mais concorrentes no seu ramo houver e próximos a seu negócio melhor será, mais clientes em potencial demanda o macro ambiente. Veja o exemplo da feira livre; onde as barraquinhas são todas integradas, lado a lado, e cada um tem o mesmo legume, a mesma fruta, o mesmo produto! Mas com qualidades diferentes, atendimento diferente e isso é o que gera a demanda.
Observe a diferença entre esses dois vendedores, qual  deles  você  gostaria de comprar?


vendedor A

Vendedor B


Postar um comentário

Mais lidos

GOVERNANÇA DE HOTEL

O CAFÉ DA MANHÃ DE UM HOTEL

O GERENTE DE ALIMENTOS & BEBIDAS